segunda-feira, 11 de junho de 2018

A economia oculta dos revendedores Supreme

Este é um documentário chamado "A economia oculta dos revendedores Supreme" que mostra os bastidores de como funciona a cultura dos revendedores (os comerciantes individuais ou empresas que compram bens ou serviços com a intenção inicialmente de somente de vendê-los e não consumi-los ou utilizá-los).


Desde a inauguração no centro de Manhattan, em 1994, a marca Supreme fundada por James Jebbia foi à marca mais desejada e revendível do mundo por quem gosta da cultura streetwear. Para chegar neste patamar, a marca manteve o seu estoque limitado em pequenas quantidades e exclusivas. Devido a isso, conseguiu gerar uma enorme demanda. Atualmente, a forma de comprar o produto não está mais limitada somente à compra direta com a marca, pois existem intermediários que aumentam bem o preço.

Para você ter uma ideia, os preços podem chegar até 1200% do custo original, sendo que as camisetas gráficas da Supreme custam entre 36 e 44 dólares. Novos produtos da marca sempre criam um alto nível de ansiedade, causando uma enorme fila na noite anterior. Isso tudo é graças aos revendedores que utilizam diversos canais para revender os seus produtos. Enquanto o eBay foi famoso no passado, o Instagram e os grupos do Facebook parecem ser as formas mais rápidas e eficientes de revenderem a Supreme.

A parte curiosa fica conta de uma garota que estava fazendo a reportagem para o documentário. Na rua, ela se depara com alguns indivíduos que estavam esperando na fila para comprar o lançamento do Michael Jordan Supreme e que se diziam ser fãs do Michael Jordan (ex-jogador profissional de basquetebol norte-americano). No entanto, quando perguntado aos entrevistados sobre quantos títulos da NBA o atleta tinha conquistado, as pessoas ficavam em dúvida e não sabiam responder precisamente quantos eram.


Nota: O que você achou do vídeo?

0  comentários:

Postar um comentário

Buscar

 

Facebook

Publicações recentes


Parceiros

CupomVálido