quinta-feira, 13 de maio de 2021

O grande reset chegou também na propaganda

A nova campanha intitulada "The Reset" da Verizon criada pela agência Madwell no estilo videogame leva você a uma jornada aparentemente normal por um mundo totalmente anormal para mostrar aos jogadores os benefícios da tecnologia 5G ao construir um mundo cheio de falhas perturbadoras induzidas pelo atraso.

Ao combinar um mundo familiar com distorções digitais não naturais, o mesmo no qual podemos ver em nossos dispositivos, o filme mostra as falhas que os jogadores reconhecerão instantaneamente, incluindo um gato passando por um poste, uma criança flutuando no ar ao lado de uma bicicleta e um motorista de ônibus cujas texturas de rosto não foram carregadas. 

A campanha evidencia que o "The Great Reset" (O Grande Reset) chegou até mesmo na propaganda, além de enfatizar que o 5G Ultra Wideband da marca irá redefinir e mudar a conectividade como a conhecemos, especialmente quando se trata do mundo dos jogos, mostrando o potencial de uma melhor experiência 5G em sua rede. Ao final, os problemas técnicos são aparentemente resolvidos e a campanha termina com a mensagem: "Don't live with lag. Meet 5G Ultra Wideband, the fastest 5G in the world" (Não viva com atraso. Conheça o 5G Ultra Wideband, o 5G mais rápido do mundo).


Nota: O que você achou do vídeo?

sexta-feira, 7 de maio de 2021

O modo previsível diante das forças invisíveis

Todos gostamos de pensar em nós mesmos como indivíduo, no entanto, seremos realmente guiados por forças invisíveis que nos fazem comportar-se de um modo previsível, como um enxame humano? Nessa série, Jimmy Doherty descobre como as trilhas de dados que deixamos para trás funciona como um todo.

Você verá ainda como a partir da atividade das mídias sociais, de compras online e de termos de pesquisa, ajudam a revelar um quadro incrivelmente detalhado sobre o quão previsíveis somos. E isso mostra como as organizações, incluindo supermercados, varejos, empresas energéticas, controles de tráfego terrestre e aéreo usam enormes quantidades de dados e tecnologia sofisticada para antecipar nossas ações e manter o funcionamento de uma sociedade toda.

Os programas anunciam como pequenas mudanças no clima, seja uma onda de frio ou calor, podem levar a enormes e surpreendentes diferenças em nosso comportamento e em como a infraestrutura e as empresas britânicas tentam prever essas mudanças dramáticas e rapidamente se adaptar, de modo a evitar que o país venha a sofrer maiores consequências.

Além disso, os programas também mostram como nossos ritmos biológicos primordiais influenciam tudo, desde os momentos em que estamos mais propensos em ficar mal-humorado, ou quando queremos uma simples xícara de café e como a psicologia e a mentalidade de bando são levadas em conta no design de aeroportos, supermercados, check-outs e nas compras. Aproveite para ativar as legendas em português.

Nota: O que você achou do vídeo?

segunda-feira, 26 de abril de 2021

Tempos confusos e as nossas aflições diárias

A rede de fast-food Burger King encontrou uma maneira inusitada de abordar o público para promover o sanduíche Whopper feito de plantas, hambúrguer 100% vegetal, para o que descreve como os tempos confusos de hoje. O argumento de venda é que o Whopper pode ser confuso, pois não tem carne, de fato.

A campanha intitulada "Confusing times" (Tempos confusos) desenvolvida pela agência David Madri conta a história de oito pessoas que, assim como a maior parte da população mundial, têm enfrentado momentos confusos e de pequenas contradições cotidianas, afloradas devido ao cenário da pandemia. A dubiedade explorada faz referência a um conjunto de sentimentos causados pelo distanciamento social e as aflições diárias vividas pela sociedade nos dias atuais.

Enquanto João se pergunta se trabalha de casa em home-office ou mora no trabalho, Davi, que acabou de comprar um livro sobre aquecimento global percebeu que o produto veio embalado com plástico. Já Carlos aprendeu que deve espirrar na parte interna dos cotovelos, porém, hoje em dia, as pessoas geralmente se cumprimentam com os cotovelos. Ao final, o filme mostra o protagonista da campanha, o Whopper de plantas, que tem gosto de Whopper, só que o mesmo é feito de plantas. A direção é de Juan Cabral.

Nota: O que você achou do vídeo?

segunda-feira, 19 de abril de 2021

Uma conversa com o futurista Gerd Leonhard

Nesta conversa com o seu produtor gravada na sua sala em Zurique, na Suíça, o futurista Gerd Leonhard reflete sobre o tema do seu próximo filme intitulado "O bom futuro", além de responder diversas questões. Que tipo de método devo usar para encontrar as principais previsões e como posso "voltar do futuro"? 


Porque o futuro é uma mentalidade e não um período de tempo? Porque estamos no ponto de inflexão da mudança exponencial? Porque é que o agora é tão diferente e porque é que os próximos 10 anos nos trarão mais mudanças do que os 100 anos anteriores? Quem definirá o que é realmente bom? Como vamos chegar a um acordo sobre como projetar "o bom futuro"? Se o capitalismo como o conhecemos é impróprio para o futuro que nos falta, quais são as alternativas? 

O futuro é pré-determinado? A liberdade pessoal será afetada como resultado das medidas de emergência da Covid-19? Como seria um bom futuro se não fosse distopia? Como transformar a crise climática numa oportunidade econômica? A tecnologia levará a mais isolamento social ou a relacionamento mais íntimos? O futuro não é algo que simplesmente cai sobre nós; é algo que criamos, todos os dias, por ação ou por inação. O futuro é nosso para ganhar ou perder. Teremos todas as ferramentas, mas teremos o "télos" (em grego, propósito)? Como diria o futurista norte-americano Alvin Toffler: "Os analfabetos do futuro não são aqueles que não sabem ler ou escrever, mas aqueles que não podem aprender, desaprender e reaprender".


Nota: O que você achou do vídeo?

terça-feira, 13 de abril de 2021

Os segredos revelados das redes de fast-food

Enquanto o drive-thru significava que nem precisávamos sair do veículo (ou seja, a nova sala de jantar) para pegar o seu lanche, atualmente, através do sistema de entregas por aplicativos significa que nem precisamos sair de casa para isso. No entanto, há um preço que você paga por usar toda essa comodidade.

Os restaurantes deveriam facilitar o jantar saudável das famílias em um curto período de tempo. Porém, hoje em dia é provável que você sinta pelo menos um pouco de autoconsciência ao ceder ao desejo de tomar um refrigerante, comer uma pizza ou até mesmo ingerir uma grande quantidade de batatas fritas. As redes de fast-food são muitas vezes um prazer culpado para muitos. Às vezes, almoçar ou jantar em um restaurante deste tipo acaba sendo o recurso mais comum na correria do dia a dia, quando você não tem tempo para cozinhar. 

Se você, por exemplo, já trabalhou em um restaurante ou lanchonete, sabe que existem algumas coisas que acontecem nos bastidores que definitivamente afastariam alguns clientes. As áreas de cozinha de muitos restaurantes nem sempre são tão limpas quanto eles poderiam ser e muita gente já ouviu alguma história inusitada de entregadores de aplicativos de comida que beliscam os pedidos ou de funcionários que até mesmo alteram a comida de clientes que dificultam os garçons. Neste vídeo produzido pelo Buzz Feed, os funcionários que trabalharam em redes de fast-food revelam alguns de seus truques e respondem tudo que você sempre quis perguntar. Confira os depoimentos no vídeo abaixo.


Nota: O que você achou do vídeo?

sexta-feira, 9 de abril de 2021

Panela cheia salva em campanha contra a fome

Diante desta situação de calamidade, a CUFA, a Gerando Falcões e a Frente Nacional Antirracista, com o apoio do União SP e cooperação da Unesco, uniram esforços para criar o Movimento Panela Cheia em busca de arrecadar recursos para a compra de cestas básicas para pessoas em situação de vulnerabilidade.

Em tempos de pandemia, as dificuldades se acentuam, levando pelo menos 10 milhões de pessoas a passar fome no Brasil. A fome mata. Panela cheia salva. A sua contribuição vai ajudar a encher milhões de panelas e salvar milhões de vidas no Brasil. Ao longo da pandemia, 8 em cada 10 famílias das favelas não teriam se alimentado se não tivessem recebido doações. Um número assustador, mas real.

Estas instituições lutam todos os dias contra a dura realidade da fome e trabalham seriamente para fazer chegar alimentos onde se mais precisa: nas mesas de famílias em comunidades de todo país. Os efeitos da pandemia são extremamente graves e urgentes em todo o país e atingem, principalmente, aqueles mais vulneráveis. A produção da campanha é da agência Africa.


Nota: O que você achou do vídeo?

segunda-feira, 29 de março de 2021

Como será a vida no mundo após a pandemia?

Como será a vida depois da pandemia? A exemplo do que aconteceu após a Segunda Guerra Mundial, o drama da guerra forçou, de fato, uma aceleração industrial em vários setores. E com a pandemia do novo coronavírus, o processo continua o mesmo com a devastação de famílias e novas descobertas tecnológicas.

O desenvolvimento de carros autônomos, robôs, drones, supercomputadores que com o tempo aprendem a criar os seus próprios comandos e as operações ganham mais velocidade e precisão à medida que armazena mais informações no seu banco de dados, novos laboratórios, trabalho remoto em home-office: a lista parece não ter mais fim. E com o resultado dessa pandemia, o comércio online acabou tendo um aumento expressivo para tentar atender essa nova demanda.

Máquinas com inteligência artificial ajudam na guerra sanitária contra a Covid-19, durante 24 horas por dia. E mesmo com isolamento social, a TV Justiça produziu um documentário para falar desse assunto e de como o distanciamento impacta as pessoas. Pesquisadores de tecnologia, genética, sociologia, futurologia, mercado financeiro e startups foram entrevistados pela internet.

Nota: O que você achou do vídeo?

Buscar

 

Facebook

Publicações recentes


Parceiros

CupomVálido