sábado, 21 de abril de 2018

As curas proibidas que a indústria não te conta

Este documentário chamado "Curas Proibidas" do doutor Lair Ribeiro fala como funciona essa indústria do adoecimento através dos comprimidos que em geral são vendidos como milagrosos. No entanto, estatísticas mostram que eles não curam nada, ou seja, os remédios apenas remediam como o próprio nome já diz.


Por exemplo, você toma um remédio para o coração e às vezes o efeito colateral vem no estômago. Nisto, você resolve ir ao médico do estômago e ele te receita um medicamento para o estômago que pode dar um efeito colateral na cabeça. Em consequência disso, você acaba tendo depressão e decide ir ao psiquiatra. Você faz a consulta, ele te indica um remédio para depressão que poderá afetar outra parte do corpo. Neste estágio, você provavelmente já irá estar tomando cinco remédios simultâneos e desconhece qual era a sua doença inicial, pois ela já ficou lá pra trás.

Basta você acompanhar o número de casos de doenças crônicas (doença que não é resolvida num tempo curto), infarto (bloqueio do fluxo sanguíneo para o músculo cardíaco), derrame (danos ao cérebro devido à interrupção do fornecimento de sangue), alzheimer (doença progressiva que destrói a memória e outras funções mentais importantes) e câncer (doença em que as células anormais se dividem incontrolavelmente e destroem o tecido do corpo) aumentando ano após ano.

Apesar desse poderoso lobismo (grupo organizado com o objetivo de interferir diretamente nas decisões do poder público) da indústria farmacêutica, há um médico que resolveu quebrar esse silêncio e relevar as alternativas que podem ajudar você a ter uma vida saudável e de qualidade. Ao longo do documentário, Lair Ribeiro mostra algumas percepções interessantes, onde ele diz que 85% da verba do SUS foram gastas nos últimos dois anos de vida do brasileiro e o mito do colesterol que a indústria farmacêutica propaga.



Nota: O que você achou do vídeo?

quarta-feira, 11 de abril de 2018

O professor e a autêntica essência de ensinar

O professor sempre nos dizia: Devemos usar o nosso conhecimento em benefícios dos outros. Baseado em uma história verídica de um verdadeiro doador, a campanha intitulada "O professor eterno" mostra essa boa relação entre um ótimo professor com seus alunos e o quanto ele contribuiu para a vida de cada um.


Na Tailândia, o Dia dos Professores é uma data muito importante no calendário tailandês. Isso porque os tailandeses possuem antigas crenças e influências "animistas" (do latim animus, "alma, vida", ou seja, uma visão de mundo em que entidades não humanas possuem uma essência espiritual) que se misturaram ao budismo. E por existir há muito tempo como uma tradição popular, o costume é passado de geração em geração e destinada a formalizar a relação aluno-professor. A cerimônia desta tradição é observada em todas as escolas da Tailândia, no qual muitos graduados retornam para reconhecer seus tutores passados.

O objetivo da campanha é reforçar os valores culturais tradicionais dos tailandeses, além de destacar também a dedicação e o comprometimento dos professores na Tailândia que dão aos seus alunos. Ao longo dos anos, o professor educa centenas de médicos que posteriormente ajudarão a curar milhões de pessoas. Enquanto o professor dá o seu último suspiro, a sua intenção de continuar a educar depois de sua morte é revelada em uma carta doando o seu corpo para pesquisa médica. Ao final, o filme finaliza com a mensagem: "Eu sou um professor, mesmo morto continuarei ensinando (Primeiro doador de cadáver para educação médica da Tailândia)" para retratar que o professor nunca se aposenta.



Nota: O que você achou do vídeo?

sexta-feira, 6 de abril de 2018

Pequenos passos levam a grandes mudanças

A Nestlé, da Tailândia, está encorajando a todos os tailandeses a iniciarem as suas jornadas para uma vida mais equilibrada e feliz, fazendo gradualmente pequenos ajustes em sua rotina diária para eventualmente alcançar uma vida mais saudável através da campanha intitulada "Choose Wellness" (Escolha o Bem-Estar).


Convenhamos, em sua vida, existe uma pessoa que sempre presta atenção em você, independentemente de qualquer idade ou circunstância da vida. Em reconhecimento que muitos tailandeses querem viver com estilos de vida mais saudáveis, a campanha enfatiza a ideia de que pequenos passos podem levar você a grandes mudanças. Criada pela agência J. Connect, unidade digital tailandesa do grupo JWT, de Bangkok, a campanha ressalta a missão e o compromisso da companhia em melhorar a nutrição, saúde e bem-estar dos consumidores tailandeses.

A história da campanha se inicia mostrando um casal de noivos que estão fazendo os preparativos para o casamento. Nisto, o casal visita a família do noivo para o jantar. Após isso, a mãe do rapaz apresenta um diário para a noiva de seu filho que ela manteve desde que ele era bebê, registrando em detalhes o amor e a atenção que ela dava aos alimentos e bebidas. Exemplo disso está na primeira caixa de leite que seu filho tomou; o bolo de chocolate do seu aniversário, no qual sua mãe fez questão de preparar; a primeira vez que ele se engasgou com uma semente da fruta-do-conde, entre outras lembranças bem marcantes. Ao final, o filme assina com a mensagem: "Cuidar bem de você é o melhor presente da minha vida".


Nota: O que você achou do vídeo?

terça-feira, 27 de março de 2018

Os influenciadores digitais da vida cotidiana

Com a internet, as pessoas passam mais tempo curtindo conteúdos criados por influenciadores. E se essa atenção fosse direcionada para quem realmente mais necessita de ajuda? A campanha "Influenciadores da vida real" criada pela agência Grupo Image para o TETO Brasil mostra a realidade do morador da favela.


A campanha é um convite para a COLETA, uma das principais ações sociais da organização. Com trilha sonora de Criolo, a iniciativa foca sua atenção para a realidade dos moradores das comunidades carentes do país com o objetivo de arrecadar recursos para financiar projetos de moradia e infraestrutura em mais de 40 comunidades onde a organização atua. 

A moradora Rose, da Vila Moraes, em São Bernardo do Campo, é a protagonista da peça "lowcarb" (termo usado na redução do consumo de carboidratos processados como açúcar e farináceos, e aumento a ingestão de alimentos nutritivos). Estudante de direito e mãe de 4 filhos, ela mostra a violação dos direitos dos moradores do local, e, sem perder o humor, apresenta também o seu prato de arroz e feijão, lembrando que muitas famílias não podem pensar em dieta quando a luta diária é para ter o alimento na mesa.

De acordo com Bruno Dias, gestor executivo da ONG, ele diz: "Nos últimos anos tivemos um aumento do déficit habitacional e de pessoas indo morar em favelas, ao mesmo tempo que temos percebido cortes significativos nas políticas públicas de habitação que tendem a agravar ainda mais esta situação de calamidade pública. Queremos mobilizar o maior número de pessoas, que indignadas com estas condições, possam ir para as ruas denunciar e arrecadar recursos para colocar soluções concretas em prática".



Nota: O que você achou do vídeo?

segunda-feira, 26 de março de 2018

Uma reflexão sobre hábitos da vida moderna

Você está cansado do seu dia a dia estressante? Que tal experimentar um novo "medicamento" não nocivo que chega para aliviar os arrepiantes sintomas da vida moderna? O movimento Nature Rx criou um vídeo para mostrar que sair de casa e curtir a natureza é um ótimo remédio para o estresse da correria diária.



O movimento de base Nature Rx dedicado a entreter e informar as pessoas sobre os aspectos curativos e humorísticos da natureza mostra que a natureza é recomendada para humanos de todas as idades, além dos bichos de estimação, pois ela pode fazer você diminuir o ritmo, pedir demissão ou seriamente te fazer considerar que você está fazendo com a sua vida. De forma bem-humorada, o movimento nos conta que estudos clínicos provaram que a natureza reduz a "catatonia" (perturbação do comportamento motor que pode ter tanto uma causa psicológica ou neurológica) induzida pelo trabalho. Além disso, com a natureza, você pode diminuir o cinismo, a indiferença, obsessividade e ódio incontrolável. 

O Nature Rx ainda oferece uma dose saudável de risos e ao ar livre, duas prescrições atemporais para o que o aflige, além de ser um lembrete amigável para nós, habitantes da Terra, sobre o que é bom e o que vale a pena proteger quando fazemos uma aventura ao ar livre. Neste sentido, os efeitos colaterais podem incluir a confiança, autenticidade, lembrar que você tem um corpo e estar de bom humor sem motivo aparente. Por trás do humor e da paródia encontra-se a boa ciência. Pesquisas mostram que passar mais tempo na natureza melhora sua saúde, bem-estar e leva a melhores decisões ambientais.


Nota: O que você achou do vídeo?

quinta-feira, 15 de março de 2018

Uma releitura do clássico Os Três Porquinhos

Na segunda-feira (12), a ONG Fundação SOS Mata Atlântica lançou uma releitura do clássico infantil "Os Três Porquinhos". Produzida em parceria com a agência DPZ&T, a nova campanha mostra uma continuação para a história, relacionando-a diretamente com a importância da restauração das florestas brasileiras.


A campanha mostra que a Mata Atlântica não chegou ao fim, pois já foram plantadas mais de 40 milhões de árvores nativas em 9 estados. De acordo com Marcia Hirota, diretora executiva da Fundação SOS Mata Atlântica, ela diz: "Nossa versão começa depois que a história original acaba! Sentindo-se seguros pelos muros de tijolos, os animais destroem a floresta para construir mais casas, empresas e indústrias. O que eles não esperavam era que a mata fosse fazer tanta falta". Além disso, ela ressalta que a Mata Atlântica é um patrimônio nacional e é responsabilidade de todos garantir sua preservação. E ainda complementa: "Por isso fazemos um convite para as pessoas se engajarem e plantarem uma árvore conosco".

Com produção da Vetor Zero, a animação é narrada pelos animais, que representam as pessoas e a luta pela preservação ambiental. O filme nos apresenta um novo cenário, em que o progresso e a natureza podem viver em harmonia. Além disso, mostra que, mesmo restando apenas 12,4% de mata nativa, é possível reverter a situação e construir um ambiente harmonioso entre os seres humanos e a floresta.


Nota: O que você achou do vídeo?

terça-feira, 13 de março de 2018

E se o comercial de smartphone fosse honesto?

Comprar o último modelo de celular pode parecer uma ideia bem sedutora para quem gosta de tecnologia e quer ficar atualizado com as últimas tendências do mercado. Agora responda: Quais características desse novo aparelho são tão importantes? O que ele vai fazer de tão especial que o seu celular atual não faz?


O canal de humor do Youtube chamado Cracked criou uma série de vídeos chamada "Publicidade Honesta" e no episódio "E se os comerciais de celulares fossem honestos?", você verá como funciona a obsolescência programada (decisão do produtor de propositadamente desenvolver, fabricar, distribuir e vender um produto para consumo de forma que se torne obsoleto ou não-funcional especificamente para forçar o consumidor a comprar a nova geração do produto). E se não bastasse isso, ainda estimula a produção, gera gastos de energia e de matérias-primas, além da emissão de poluentes.

Na prática, o apresentador mostra que ele pode usar leis antipirataria para te enviar atualizações forçadas que tornam a sua "caixa de bolso" muito pior. Além disso, ele mostra que as empresas podem bloquear o seu celular, assim ele não tem valor de revenda, apesar de ser seu. Outra curiosidade são aqueles diversos aplicativos embutidos que provavelmente você nunca irá usar e que são impossíveis de apagar, ou seja, você acaba de adquirir o produto e o aparelho já está quase com a memória cheia. E se você não atualizar regularmente o aparelho pode travar.

Outro ponto que é destacado no vídeo é questão da necessidade mais básica e primitiva do ser humano: se conectar com os outros. Neste sentido, o apresentador fala sobre o peso negativo que o celular possui nos dias de hoje, uma vez que a tecnologia afasta quem está perto. Ao final, Roger menciona os custos de produção e mostra que é mais fácil e barato fazer os trabalhadores ganharem centavos e colocar redes ao redor da fábrica para evitar os funcionários de se suicidarem durante o turno.



Nota: O que você achou do vídeo?

Buscar

 

Facebook

Publicações recentes


Parceiros

CupomVálido

Arquivos